• Katy Frisvold

Mark Twain e as Cartas da Terra


Mark Twain e sua família (cerca de 1865).

Hoje estou publicando um material mais extenso, mas garanto que a leitura oferecerá algum insight necessário aos nossos tempos de necessárias reflexões sobre os ideais de masculinidade e feminilidade. Provavelmente você já tenha lido “As Aventuras de Tom Sawyer” ou “As aventuras de Huckleberry Finn”, mas talvez nunca tenha ouvido falar de Samuel Langhorne Clemens, mais conhecido como Mark Twain.

Sagitariano, Samuel Langhorne Clemens nasceu em 1835 no Missouri para se tornar uma das mais importantes figuras da literatura americana. O que pouco é conhecido é que Mark Twain fosse um homem muito a frente de seu tempo e que advogou fortemente pelo direito do voto feminino e criticou intensamente o racismo. Não que tenha sido sempre assim. Foi através de sua esposa Olivia Langdon, com quem teve três filhas, que ele veio a ter contato com abolicionistas, ateus e todos os tipos de ativistas pelos direitos das mulheres e de justiça social. Através de sua popularidade como um dos mais amados escritores de seu tempo, ele foi de imenso valor a estas causas, embora ele viesse a falecer nove anos antes que o sufrágio ocorresse, com 74 anos de idade.

Ele foi tremendamente influente nas ideias de Antony Lavey, que o descreveu como “um homem muito corajoso”, listando as suas obras “Letters from the Earth” (Cartas da Terra) e “The Mysterious Stranger” (O Estranho Misterioso) como suas principais contribuições. Em um dos primeiros documentos de sua Church of Satan, LaVey teceu suas honras a Twain como “um dos maiores advogados do Diabo na história” e “a mais nobre personificação do Satanista”.


Selecionei a oitava das Cartas da Terra para dar um exemplo destas deliciosas leituras:


Carta VIII


O homem é sem dúvida o tolo mais interessante que existe. É também o mais excêntrico. Ele não tem uma única lei escrita, em sua Bíblia ou fora dela, que não tenha apenas um propósito e intenção - limitar ou derrotar a lei de Deus.


Ele raramente pode adotar um fato claro e obter um significado disto que não seja o errado. Ele não consegue evitar isso; esta é a forma em que a confusão que ele chama de mente é construída. Considere as coisas que ele admite e as curiosas conclusões que ele tira delas.


Por exemplo, ele admite que Deus criou o homem. Que o fez sem o desejo humano de privação.


Isso parece tornar Deus, e somente Deus, clara e indiscutivelmente responsável pelos atos do homem. Mas o homem nega isso.


Ele admite que Deus tenha feito os anjos perfeitos, sem defeitos, e imunes à dor e à morte, e que ele poderia ter sido igualmente gentil com o homem se quisesse, mas nega que ele estivesse sob qualquer obrigação moral de fazê-lo.


Ele admite que o homem não tenha o direito moral de lançar ao filho, de sua própria criação, crueldades arbitrárias, doenças dolorosas e morte, mas se recusa a limitar a Deus os privilégios deste tipo com os filhos de sua criação.


A Bíblia e os estatutos do homem proíbem o assassinato, o adultério, a fornicação, a mentira, a traição, o roubo, a opressão e outros crimes, mas sustenta que Deus está livre dessas leis e tem o direito de quebrá-las quando quiser.


Ele admite que Deus dê a cada homem seu temperamento e sua disposição no nascimento; ele admite que o homem não possa, através de qualquer processo, mudar esse temperamento, mas deve permanecer sempre sob seu domínio. No entanto, se este estiver cheio de paixões terríveis, no caso de um homem, e um outro isento delas, é correto e racional punir um por seus crimes e recompensar o outro por se abster de crimes.

Vamos lá --- considerar essas curiosidades.


Temperamento (Disposição)


Tome dois extremos de temperamento – o bode e a tartaruga.


Nenhuma dessas criaturas cria seu próprio temperamento, mas nasce com este, como o homem, e assim como o homem, não pode mais alterá-lo.


O temperamento é a lei de Deus escrita no coração de toda criatura pelas próprias mãos de Deus, e deve ser obedecida, e será obedecida, apesar de todos os estatutos restritivos ou proibitivos, emanem de onde emanarem.


Muito bem. A luxúria é a característica dominante do temperamento do bode, a lei de Deus está em seu coração e ele deve obedecê-la e irá obedecê-la durante todo o dia na estação do cio, sem parar para comer ou beber. Se a Bíblia dissesse ao bode: "Não fornicarás, não cometerás adultério", mesmo o Homem – o homem com sua cabeça mole –reconheceria a loucura da proibição e se asseguraria de que o bode não fosse punido por obedecer à lei do seu Criador. No entanto, ele acha certo e justo que o homem deva ser colocado sob a proibição. Todos os homens. Igualmente.


De cara, isso é estúpido, pois, por temperamento, que é a verdadeira lei de Deus, muitos homens são bodes e não conseguem deixar de cometer adultério quando têm uma chance; considerando que há um número de homens que, por temperamento, pode manter sua pureza e deixar passar uma oportunidade se a mulher carecer de atrativos. Mas a Bíblia não permite de forma alguma o adultério, mesmo que uma pessoa possa se segurar ou não. Ela não permite a distinção entre bode e tartaruga – o bode excitável, o bode emocional, que precisa de algum adultério todos os dias ou desaparecer e morrer; e a tartaruga, aquele puritano calmo e frio, que se delicia apenas uma vez em dois anos e depois dorme no meio de tudo e não acorda por sessenta dias. Nenhuma cabra está a salvo da agressão criminosa, mesmo no Dia do Senhor, quando há um bode macho dentro de um raio de cinco quilômetros de distância e nada no caminho além de uma cerca de quatro metros de altura, enquanto nem a tartaruga macho nem a tartaruga fêmea estarão famintas o suficiente pelas alegrias solenes da fornicação ou estarão dispostas a quebrar o Dia do Senhor para obtê-las. Agora, de acordo com o curioso raciocínio do homem, o bode ganha a punição e a tartaruga, elogios.


"Não cometerás adultério" é uma ordem que não faz distinção entre as seguintes pessoas. Todos são obrigados a obedecê-la:


Crianças ao nascer.


Crianças no berço.


Crianças na escola.


Jovens e donzelas.


Jovens adultos.


Pessoas maduras.


Homens e mulheres de 40


De 50.


De 60.


De 70


De 80


De 90


De 100.


O mandamento não distribui sua carga igualmente, e não pode.


Não é difícil para os três grupos de crianças.


É difícil - dificílimo – e ainda mais difícil nos próximos três grupos - cruelmente difícil.

É abençoadamente suavizado aos próximos três grupos.

Agora, ele já causou todo o dano possível e também pode ser posto em desuso. No entanto, com imbecilidade cômica, permanece, e os quatro estados restantes são submetidos à sua proibição esmagadora. Pobres velhotes, eles não poderiam desobedecer mesmo se tentassem. E pense - porque eles se abstêm de fornicar uns com os outros, eles são elogiados por isso! Isso não faz sentido, pois até a Bíblia contempla o suficiente para saber que, se o veterano mais velho pudesse recuperar seu auge perdido por uma hora, lançaria esse mandamento ao vento e arruinaria a primeira mulher que encontrasse, mesmo sendo uma completa estranha.


É como eu disse: todo estatuto da Bíblia e dos livros de leis é uma tentativa de derrotar uma lei de Deus - em outras palavras, uma lei da natureza inalterável e indestrutível. O Deus dessas pessoas lhes mostrou, por um milhão de atos, que ele não respeita nenhum dos estatutos da Bíblia. Ele mesmo quebra cada um, adultério e tudo.

A lei de Deus, como claramente expressa na construção da mulher, é a seguinte: não haverá limite colocado ao seu intercurso com o outro sexo em qualquer momento de sua vida.


A lei de Deus, como claramente expressa na construção do homem, é a seguinte: durante toda a sua vida, você estará sob limites e restrições inflexíveis da sexualidade.

Durante vinte e três dias por mês (na ausência de gravidez), desde quando uma mulher tem sete anos de idade até morrer de velhice, ela está pronta para a ação e é competente. Tão competente quanto o castiçal é para receber a vela. Competente todos os dias, competente todas as noites. Ela também quer que a vela anseie por ela, que aspire por ela, que a deseje, conforme ordenado pela lei de Deus em seu coração.


Mas o homem é apenas brevemente competente; e somente então, na medida moderada aplicável à palavra no caso de seu sexo. Ele é competente a partir dos dezesseis ou dezessete anos de idade por trinta e cinco anos. Depois dos cinquenta, seu desempenho é de baixa qualidade, os intervalos entre eles são amplos e suas satisfações não têm grande valor para nenhuma das partes; enquanto sua bisavó é tão boa quanto nova. Não há nada disso com sua planta. O castiçal dela está mais firme do que nunca, enquanto a vela dele é cada vez mais suavizada e enfraquecida pela idade, com o passar dos anos, até que finalmente não aguenta mais e é tristemente deixada para descansar na esperança de uma ressurreição abençoada que nunca virá.


Pela constituição da mulher, sua planta deve ficar fora de serviço por três dias no mês e durante uma parte de sua gravidez. São tempos de desconforto, muitas vezes de sofrimento. Por compensação bela e justa, ela tem o grande privilégio do adultério ilimitado todos os outros dias de sua vida.


Essa é a lei de Deus, como revelado na constituição dela. O que acontece com esse alto privilégio? Ela vive desfrutando disso? Não. Em nenhum lugar do mundo inteiro. Ela é roubada em todos os lugares. Quem faz isso? O Homem. Estatutos do homem - se a Bíblia é a Palavra de Deus.


Agora você tem uma amostra dos "poderes de raciocínio" do homem, como ele os chama. Ele observa certos fatos. Por exemplo, que em toda a sua vida ele nunca vê um dia em que pode satisfazer uma mulher; além disso, que nenhuma mulher vê o dia em que não pode trabalhar demais, derrotar e colocar para fora de serviço quaisquer dez plantas masculinas que possam lhe ser colocadas na cama. [**] Ele reúne esses fatos surpreendentemente sugestivos e luminosos, e deles tira essa conclusão surpreendente: O Criador pretendia que a mulher se restringisse a um homem.


Então ele concretiza essa conclusão singular em lei para o bem e para todos.

E ele faz isso sem consultar a mulher, embora ela tenha mil vezes mais em jogo do que ele. Sua competência procriadora é limitada a uma média de cem exercícios por ano durante cinquenta anos, a capacidade dela é boa para três mil por ano durante todo esse tempo - e quantos anos mais ela viver. Assim, o interesse dele pelo assunto é de cinco mil refrescos, enquanto o dela é de cento e cinquenta mil; contudo, em vez de deixar justa e honrosamente a elaboração da lei para a pessoa que tem um interesse esmagador em jogo, esse porco imensurável, que não tem nada em jogo que valha a pena considerar, faz isso sozinho!


Até agora você descobriu, pelos meus ensinamentos, que o homem é um tolo; agora você está ciente de que a mulher é uma idiota.


Agora, se você ou qualquer outra pessoa realmente inteligente organizasse a justeza e a justiça entre homem e mulher, você daria ao homem o quinquagésimo interesse em uma mulher, e à mulher um harém. Agora, não é? Necessariamente. Dou-lhe a minha palavra, esta criatura com a vela decrépita arranjou exatamente o contrário. Salomão, que era um dos favoritos da Deidade, tinha um gabinete de cópula composto por setecentas esposas e trezentas concubinas. Para salvar sua vida, ele não poderia ter mantido duas dessas criaturas jovens satisfatoriamente refrescadas, mesmo que tivesse quinze especialistas para ajudá-lo. Necessariamente, quase todas as mil tinham que passar anos e anos seguidos famintas. Conceba um homem de coração duro o suficiente para olhar diariamente sobre todo esse sofrimento e não ser tocado para mitigá-lo. Ele até mesmo deu uma acentuada nessa miséria patética; pois ele se mantinha sempre à vista daquelas mulheres, sempre vigiando obstinadas aquelas esplêndidas formas masculinas que faziam as bocas das pobres moças encher de água, mas que não tinham nada para acalmar o castiçal, esses nobres eram eunucos. Um eunuco é uma pessoa cuja vela foi apagada. Por arte. [**]


De tempos em tempos, à medida que avanço, adotarei um estatuto bíblico e lhe mostrarei que ele sempre viola a lei de Deus e, depois, é importado para os livros das leis das nações, onde continuam suas violações. Mas essas coisas vão se manter; não há pressa.


* NOTA: Nas Ilhas Sandwich, em 1866, uma desagradável princesa real morreu. Ocupando um lugar de distinta honra em seu funeral, havia trinta e seis jovens nativos esplendidamente construídos. Em uma música elogiosa que celebrava os vários méritos, realizações e conquistas da falecida princesa, esses trinta e seis garanhões foram chamados de seu harém, e a música dizia que tinha sido seu orgulho e glória que ela mantivesse todos eles ocupados, e que várias vezes ocorreu que mais de um deles conseguiu cobrar horas extras. [M.T.]


* NOTA: Proponho publicar estas Cartas aqui no mundo antes de retornar a você. Duas edições. Uma, sem edição, para leitores da Bíblia e seus filhos; a outra, expurgada, para pessoas refinadas. [M.T.]


  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • cartaicone