• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • cartaicone
  • Cussa Mitre

Estabilizar vs Estagnar


Rio seco de San Juan Bautísta, Estado Nueva Esparta, Venezuela.

Em 8 de fevereiro de 1810, nascia Alphonse Louis Constant. Filho de um sapateiro, possuía desde pequeno uma grande habilidade para desenho. Aos 10 anos ingressou na comunidade de presbítero da igreja Saint-Louis, em Lille. Lá o abade Hubault selecionava os mais inteligentes e por isso se tornou mestre de Alphonse. Posteriormente foi encaminhado ao seminário de Saint-Nicolas Du Chardonnet, onde terminou seus estudos preparatórios. Lá, pode se aprofundar em Filologia. Aos 18 anos, já conseguia ler a Bíblia totalmente em seu contexto original. Com 20 anos, foi transferido para o seminário de Issy para estudar Filosofia. Dois anos depois ingressou no seminário de Saint-Sulpice para estudar Teologia, onde escreveu inclusive seus primeiros poemas religiosos. Foi ordenado diácono em dezembro 1835, com 25 anos. E teria sido ordenado sacerdote em maio de 1836 se não estivesse apaixonado por Adelle Allenbach. Óbvio que ele foi expulso do corpo eclesiástico.


Para quem não conhece a história acima (bastante resumida e contando apenas a parte inicial dela), estamos falando de um dos maiores magistas e escritores que temos notícia: Eliphas Levi. Ele foi um dos que muitos que escreveram sobre Hermetismo. E por isso utilizo ele com exemplo hoje. Um dos princípios herméticos afirma o seguinte:


Nada está parado, tudo se move, tudo vibra.

Uma das partes que não contei da história foi que a mãe de Levi se suicidou quando soube da sua expulsão da igreja. Isto porque na época, fazer parte do corpo eclesiástico era uma “garantia de vida”: não haveriam problemas de falta de dinheiro, preocupações com moradia ou coisas do tipo. Levi, ao contrário da maioria, sempre queria mais conhecimento, mais estudo.


Estabilizar


Estabilizar significa tornar estável, que não possui variações, que tende a durar bastante, constante. Eu preciso ter um emprego estável para alcançar minhas metas. Afinal, como eu posso querer “abandonar o emprego que paga as minhas contas” para poder desenhar? Esta é uma das frases que mais ouço quando vou conversar com alguns amigos sobre suas metas de vida. Concordo plenamente que precisamos sim pagar as nossas contas, mas existe um enorme risco nesse processo de estabilização…


Estagnar


É mais do que comum estagnarmos na nossa vida. Simplesmente estamos tão acomodados em nossas situações atuais, sejam elas profissionais, em relacionamentos com parceiros, com amigos, nos estudos de uma determinada ordem, que simplesmente paramos de progredir. Ao invés de tentarmos continuar lutando para progredirmos, seja em que aspecto for, simplesmente sentamos e ficamos vendo o mundo a nossa volta se mover. Passamos a ser simples espectadores de nossa própria vida, sem termos as rédeas dos caminhos percorridos. E o pior: sem termos controle dos caminhos, acabamos ficando à mercê das escolhas dos outros, sendo influenciados de todas as formas por tudo a nossa volta. Em processos como este, temos a tendência a culpar os outros, afinal, foram eles que tomaram decisões. Mas esquecemos que temos também culpa devido a nossa omissão.

E o que o conceito de vibrar tem a ver com isso?!


Simples: se você está estagnado, não está “vibrando”. Isso é o princípio do processo de morte. Já parou para pensar porque “vibramos” quando conquistamos algo!? 😉


Eita!! E como não cair nesta armadilha?


Há alguns anos, eu estava num processo de rever parte da minha vida. Estava trabalhando na mesma empresa há 7 anos praticamente. Entrei lá como estagiário de suporte, passando para estagiário de desenvolvedor, desenvolvedor júnior, pleno e finalmente cheguei a pleno. E comecei a me analisar, principalmente no sentido de crescimento. Percebi que já tinha chegado nesse último posto há 2 anos e que não havia muito mais o que crescer lá, devido à estrutura de funcionários. Era um emprego estável, tranquilo, onde eu tinha muito trabalho, mas totalmente acostumado com as cobranças e recompensas. E resolvi sair. Muitos falaram que era loucura, mas eu resolvi arriscar.


Resolvi sair porque sentia que não estava mais crescendo. Não havia como crescer. E ao surgir uma oportunidade, ponderei e vi que era a melhor escolha no momento. Poderia passar por alguns problemas, dificuldades? Sim. Poderia passar por estresses? Sim. Estaria em um ambiente totalmente novo, onde teria que me adaptar? Sim. Mas isso é que nos faz crescer.


E hoje, posso ver que foi a melhor decisão que eu poderia tomar. Afinal, isso me abriu novas portas que fizeram com que eu fosse em direção a novas conquistas. Conquistas que o meu eu daquela época nem seria capaz de imaginar...


E deixo aqui a mesma reflexão que eu fiz para que possa ajudar talvez o leitor. Como saber se estou estagnado!? Responda as perguntas abaixo:

  • Aprendi algo novo que só poderia aprender na minha atual experiência? (caso você pudesse aprender sozinho ou em outro local/experiência, a resposta é não)

  • Consegui progredir na minha carreira/situação/relacionamento?

  • Acordo todos os dias ou a maioria dos dias de forma animada e relaxada, com vontade de encarar mais uma batalha diária?

Se você respondeu alguma destas respostas com não, cuidado! Você está prestes a estagnar!


Se você respondeu duas com não, você já está estagnado!


Se você respondeu as três com não, levante-se agora e corra atrás de uma nova oportunidade para crescimento, pois você já está criando raízes!